PROPRIEDADES

PROPRIEDADES CURATIVAS DA ARGILA
As propriedades curativas da argila fundamentam-se no poder refrescante, desinflamante, descongestionante, purificador, cicatrizante, absorvente e calmante que a terra possui.

Nas queimaduras, tumores, lesões cortantes ou perfurantes, recentes, antigas ou supurantes, em especial nas contusões, fraturas e golpes, argila aplicada como cataplasma sobre a parte afetada e renovada de três em três ou quando estiver seca é recurso natural insubstituível que desinflama, purifica e cicatriza em tempo recorde, equilibrando a temperatura e aplacando a dor. Restabelece a circulação sanguínea e proporciona às células forças misteriosas que a terra possui como acumuladora de energias magnéticas, elétricas, solares, entre outras, de qualidades incomensuráveis.

A Argila apresenta inúmeras recomendações de uso cosmético e medicinal e tem as seguintes propriedades:A Argila apresenta inúmeras recomendações de uso cosmético e medicinal e tem as seguintes propriedades:

Ação Absorvente Absorve todo o tipo de veneno e pus, sendo indicado para tumores, infecções cutâneas, mal cheirosas, fluídas, tóxicas, além de secreções digestivas;
Ação Bactericida A ação é exercida rapidamente nas feridas e no aparelho digestivo;
Ação Anticéptica Promovendo a limpeza de feridas drenando as secreções ;
Ação Radioativa Ao mesmo tempo que a argila absorve os corpos prejudiciais ao organismo, age revitalizando a parte doente;
Ação vitalizante: Esse efeito você percebe em cada aplicação é observado tambem no uso interno da argila, que fornece a sua carga energética ao organismo mesmo quando ingerida em pequena quantidade, como em geral é recomendado;
Ação Analgésica Possui propriedades sedativas e relaxantes, acalmando o estado doloroso das lesões. Alivia dores nas contusões, queimaduras e picadas;
Ação Cicatrizante O silicato de alumínio presente na argila possui propriedades cicatrizantes;
Ação Desodorizante Reduz odores desagradáveis do suor axial e do hálito, dos genitais e das fezes;

Encontrar-se-á por vezes uma aparente semelhança entre a ação da argila e a de certos medicamentos, sobretudo os anti-sépticos. Mas esta semelhança é apenas aparente, uma vez que a forma de atuação da argila é oposta à dos preparados químico–sintéticos.

O efeito dos anti-sépticos de síntese é radicalmente diferente do efeito anti-séptico da argila. Os produtos de síntese são produtos que não funcionam como seletivos biológicos, e que, ao agir “às cegas” podem destruir em simultâneo o agente patogênico, o tecido doente, e o tecido sã, pois não têm “discernimento” – inteligência da natureza – para poupar os elementos que podem ser reconstituídos.

Com a argila tudo se passa de modo bem diferente, porque estamos perante uma substância “viva”, que parece provida de “discernimento”, obstruindo a proliferação dos micróbios ou bactérias patogênicas – o que quer dizer todos os corpos parasitários –, ao mesmo tempo em que favorecem a reconstituição da celular sã. Há nela incontestavelmente uma força inteligente, benéfica. Tratada com argila, uma ferida purulenta cura-se a um ritmo impressionante. Um outro fato: a argila vai até onde está o mal. Em uso interno, tanto por via bucal, como anal, ou vaginal, a argila dirige-se para o centro doente e aí se fixa, por vezes durante vários dias, para finalmente arrastar pus e sangue negro, na sua evacuação.

O poder absorvente da argila é extraordinário, e bastam 5g de boa argila para descolorar completamente 10cc duma solução de água a 0,1% de azul de metileno. Pode-se verificar este poder absorvente utilizando-a como desodorizante, quer sobre uma parte do corpo, quer misturando-a a substâncias com mau cheiro. O odor desaparece, absorvido pela argila.

Para uma fácil comprovação deste poder, coloquemos ovos crus num recipiente, totalmente envolvidos com argila, e verificaremos que, passado algum tempo, sem que a casca tenha sofrido qualquer dano, eles perderam três vezes mais peso do que os ovos expostos ao ar. Estas propriedades absorventes, deve certamente à constituição micromolecular da argila, explicam em parte a sua ação curativa.

A argila absorve admiravelmente as impurezas e outras substâncias que podem ser tóxicas ou dar sabor desagradável aos alimentos. Por isso é largamente utilizada para eliminar o gosto dos óleos medicinais e também no tratamento das margarinas, com o fim de lhes dar o sabor da manteiga.

Não é fácil determinar com rigor quais os fatores que, na argila, justificam a sua ação. A radioatividade é um dos aspectos mais evocados. De fato, a argila é subtilmente radioativa, como aliás o são todos os corpos, em maior ou menor grau. Contudo, excetuando-se algumas lamas, possui uma radioatividade raramente detectável pelos aparelhos de controlo utilizados em laboratório.

384 total views, 4 views today